quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Mapa Histórico: Império Carolíngio (Idade Média).

Representação da extensão do Império Franco (Carolíngio) durante o governo de Carlos Magno (século VIII):
Clique na imagem para ampliar (e muito).

RESUMO:
Neste mapa, o norte da Itália (Lombárdia) e a Córsega estão incorporadas ao Império de Carlos Magno, mas o Extremo Sul e a Sardenha ainda pertencem ao Império do Oriente.

Os Estados da Igreja, garantidos por Pepino desde 755-56, compreendiam, além do "Ducado" (divisão territorial interna do Império) de Roma e Pentápole, Ancona e o Exarcado de Ravena. Estes territórios se achavam independentes de direito, mas, de fato, sob a proteção imperial que contava Roma e Ravena como metrópoles do Império.

Mais ao sul, apresentava a península itálica os ducados de Espoleto e de Benevento; Nápoles ainda era bizantina.

A Bretanha Continental conservava seus chefes locais, e a insular, conquistada pelos saxões, jutas e anglos, apresentava então cinco monarquias (das sete que teve): Kent, Wessex, Eastanglia, Márcia e Nortúmbria.

Os limites orientais do Império Carolíngio são mais imprecisos; podem ser considerados os rios Elba inferior e Saale como fronteiras da Saxônia conquistada por Carlos Magno de 772 a 802.

Para sudeste, a fim de enfrentar os ávaros, últimos vestígios dos hunos, foram criadas as Marcas, territórios militares governados por margraves ou marqueses, como a Caríntia, a Carníola e a Baviera, no Alto Danúbio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário